Smartphone, meu bem

Se lhes tiram o smartphone, morrem. Ficam desasados, sem alma, incapazes de raciocinar. São assim os jovens de hoje, sobretudo adolescentes. O aparelho nunca lhes sai das mãos e o olhar nunca descola do visor. Vêem cinema, ouvem música, namoram, jogam, fazem sketches, etc, tudo através do brinquedo. Não há mundo para lá do smartphone.