Um país estranho

Neill Lochery não deixa de caracterizar Portugal como “um país estranho”, porque falha a nível coletivo mas “tem indivíduos que atingem um sucesso enorme a nível internacional”. É o caso de desportistas como Ronaldo e Mourinho, o cineasta Manoel de Oliveira, a pintora Paula Rego ou os arquitetos Álvaro Siza e Souto de Moura.

É curioso. Tenho uma opinião semelhante. O nosso país é demasiado pequeno para egos tão grandes.

Anúncios