Príncipe Real D. Luís Filipe de Bragança

tumblr_o3xkdqiVnc1v31l37o1_540

Morto a 1 de Fevereiro de 1908, juntamente com seu pai, o rei D. Carlos, no regresso de Vila Vilosa, por dois elementos da sociedade secreta denominada Carbonária: Buiça e Costa. Ao acto passou a chamar-se Regicídio.

May De Sousa

300px-Sousa_4408110341_d6a67e7c2a_oMay De Sousa (1884-1948), ou May Alvos De Sousa, de seu nome completo, foi uma cantora e actriz americana, possivelmente de origem portuguesa (não tenho info que o comprove, mas o seu patronímico podia ter sido alterado de Alves de Sousa). Era filha de um detective da polícia de Chicago, John De Sousa. A sua fama começou em 1898 (com 14 anos) como cantora de “Querida Meia-noite de Amor”. Viveu uma vida de sucesso e de tragédia.

Aos interessados em conhecer toda a história, repartida pelos EUA, Europa, Austrália e China, deixo o link da Wikipédia (em inglês): May De Sousa

Também podem ler a sua biografia (em inglês), aqui.

António Reis. “Eu não voo, ando: quero que me oiçam”

Meio século depois, a Tinta-da-China recupera uma das obras de culto da poesia contemporânea portuguesa. “Poemas Quotidianos”, do poeta e cineasta António Reis, faz regressar ao nosso convívio uma voz que precisou de apenas cem breves poemas para falar a essa altura em que todos podem ouvi-la claramente, mas que se fixa em nós como um segredo. e Meio século depois, a Tinta-da-China recupera uma das obras de culto da poesia contemporânea portuguesa. “Poemas Quotidianos”, do poeta e cineasta António Reis, faz regressar ao nosso convívio uma voz que precisou de apenas cem breves poemas para falar a essa altura em que todos podem ouvi-la claramente, mas que se fixa em nós como um segredo.

Fonte: António Reis. “Eu não voo, ando: quero que me oiçam”

Texto de Diogo Vaz Pinto no ionline

Simone Weil 

Simone Weil nasceu no princípio do século XX (1909) em Paris, no seio de uma família de origem judaica. Desde muito cedo, apresentou duas características que vão marcar toda a sua vida: uma notável inteligência

Fonte: Simone Weil – a solidariedade pensada e vivida – Jornal Tornado

Artigo de Maria do Céu Pires

Morreu Simone Veil, antiga presidente do Parlamento Europeu

image.aspx

Sobrevivente do holocausto, foi ministra da Saúde e defendeu a legalização do aborto em 1974

Mulher de convicções, pioneira nas ideias e sobrevivente do Holocausto, Simone Veil morreu hoje, aos 89 anos, informou a família.

Fonte: Óbito – Morreu Simone Veil, antiga presidente do Parlamento Europeu

Bentley sem inveja

Um homem andar de Bentley sendo conhecido sobretudo pelos seus diversos cargos públicos, remunerados por uma bitola muito baixa se comparada com cargos superiores e de administração de empresas privadas (ou Ronaldos do mundo), é estranho. No mínimo, suscita uma explicação. Recebeu uma herança? Saiu-lhe o Euromilhões? Descobriu uma mina de ouro, um poço de petróleo, e registou-os em seu nome? Uma estrela de Hollywood ofereceu-lho porque o achou um homem charmoso? Lá que é estranho, é.